O Dia Mundial da Saúde Mental pode ser pra você

O dia mundial da saúde mental tem como data o dia 10 de outubro, instituído pela federação mundial da saúde mental desde 1992. Os problemas relacionados à saúde mental são considerados uma prioridade pela organização mundial da saúde, a OMS, devido ao grande número de dias de incapacidade que o transtorno mental pode causar.

Incapacidades involuntárias, da qual uma pessoa se vê depressiva, melancólica, sem nenhuma energia psíquica ou movimento corporal para fazer as suas atividades pessoais e profissionais.

Os transtornos mentais são casos antigos e é importante lembrar que são doenças como qualquer outra, desta forma são passíveis e necessárias de tratamento com uma grande chance de cura e de melhora em muitos casos.

Reconhecer os transtornos nos ajuda a vencer o preconceito.

São inúmeros os casos de pessoas que já atravessaram quadros depressivos, e o tempo exige um certo despertar sobre o assunto. Recentemente tivemos a campanha do setembro amarelo trazendo o apelo pelo diálogo sobre o suicídio e as questões importantes em relação ao niilismo.

Muitos preconceitos já foram vencidos e hoje a sociedade, as famílias já conversam livremente sobre sexo, drogas e outros tantos temas que por tanto tempo foram censurados.

Porque não conversar abertamente sobre as questões da saúde mental?

Existem serviços de psiquiatria e psicologia para casos mais brandos e o importante é que tanto a psicoterapia quanto na psiquiatria, existe a classificação dos transtornos bipolares, e indivíduos que não só na sua vida individual, mas também com problemas familiares passam a trazer e agregar sofrimento psíquico.

É importante entender que o papel dos familiares é fundamental no tratamento.

No ponto de vista psicanalítico temos a neurose, psicose, perversão, embora a maior quantidade de pacientes sofrem com aspectos depressivos de transtornos de ansiedade.

Essa questão de reabilitar-se através de um tratamento adequado e ganhar novamente a qualidade de vida deve ser discutida e levada em consideração não só numa data especial como esta, do Dia Mundial da Saúde Mental.

Profissionais de várias áreas de atendimento, sejam nutricionistas, fonoaudiólogos, médicos ou enfermeiros, podem se empenhar em seus atendimentos com foco exclusivo de fazer a conciliação da natureza humana.

Acredito no ser humano integral e no autoconhecimento tão necessário em dias tão digitais que estamos vivendo.

A ideia de transtorno mental pode ser considerada como sofrimento psíquico, e isso se vem de meios externos também. É importante considerar o ambiente em que vivemos evitando contato com pessoas negativas, um fundamento importante para qualquer saúde, se alguém tem uma doença contagiosa, você evita estar ao lado até por questões de ética. Tanto a ética como a moral pode trazer um consenso de que o hábito de dialogar, conversar e principalmente de não fazer brincadeiras sobre as doenças mentais, precisam ser ampliados.

Acredito na transformação de dentro para fora, na ajuda mútua.

É importante termos fontes de literatura que ajudem, ressaltando a importância das personalidades, entendendo que cada um tem uma forma, jeito e uma maneira de expor suas colocações, alguns por escrito, outros mais verborrágicos preferem falar e outros tendem a ficar em silêncio.

O mais importante é estar perto.

Eu tenho falado sobre a importância de estar presente na última campanha sobre o suicídio, e é fundamental.

Às vezes o que falamos é menos importante do que a presença que podemos proporcionar.

Acredito na reabilitação psíquica onde todos podem ser parte disso dentro do nosso conhecimento.

Fraterno abraço!

Empresário, fundador e CEO do Grupo PRODUZA, publicitário, multiartista, neuropsicobiomédico clínico da saúde.

Empresário, fundador e CEO do Grupo PRODUZA, publicitário, multiartista, neuropsicobiomédico clínico da saúde.