As Colheres de Cabo Comprido.

Dizem que Deus convidou um homem para conhecer o céu e o inferno. Foram primeiro ao inferno, e ao abrirem a porta, viram uma sala em cujo centro havia um caldeirão de sopa, e à sua volta estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.

Cada uma delas, segurava uma colher de cabo comprido o que lhes permitia alcançar o caldeirão, mas não a própria boca. O sofrimento era grande naquele momento.

Em seguida, Deus levou o homem para conhecer o céu. Entraram em uma sala idêntica à primeira. Havia o mesmo caldeirão, as pessoas em volta e as colheres de cabo comprido. Porém, como uma diferença: todos estavam saciados.

Eu não compreendo! Disse o homem a Deus. Por que aqui as pessoas estão tão felizes?Enquanto na outra sala, morrem de aflição se é tudo igual?

Deus sorriu e respondeu: Você não percebeu? É porque aqui eles aprenderam a dar comida uns aos o outros.

O cenário desta parábola, nos apresenta alguns entendimentos do ponto de vista do relacionamento, da moral, do egoísmo, da criatividade e do espírito em equipe.

Quando temos as maiores dificuldades da vida, geralmente quem nos acolhe são as pessoas mais próximas. E se percebermos essa dinâmica de que o outro pode ser exatamente a ponte ou transpassar-me para um sucesso ou um objetivo alcançado, é pensar inteligente.

Visto que, você também pode tanto ceder quanto receber ajuda.

O egoísmo era algo presente, entendendo que as pessoas estavam altamente preocupadas com a sua própria fome. Impedindo que se pensasse em alternativas para equacionar aquela situação. Porque na verdade, todos estavam querendo se safar da situação caótica que se encontravam.

Eles não tiveram iniciativa de buscar alternativas para resolver um problema e nem um bom senso de equipe, porque se tivesse havido um espírito solidário, e conjuntamente uma ajuda mútua, a situação certamente seria totalmente resolvida.

Do ponto de vista do relacionamento é importante compreender que as pessoas são diferentes umas das outras. Tem DNAs, genomas e traços de personalidade diferentes.

Entendendo uma metáfora dessa, eu compreendo que as pessoas, os relacionamentos. Sobretudo, entender o outro e trazer para a realidade vivida, a dependência de que nós fazemos o nosso lugar: um céu ou um inferno.

Fraterno Abraço.

Álex

Empresário, fundador e CEO do Grupo PRODUZA, publicitário, multiartista, neuropsicobiomédico clínico da saúde.

Empresário, fundador e CEO do Grupo PRODUZA, publicitário, multiartista, neuropsicobiomédico clínico da saúde.